You are currently viewing Dados acionáveis, saiba por que eles são imprescindíveis aos negócios na atualidade

Dados acionáveis, saiba por que eles são imprescindíveis aos negócios na atualidade

Muito além das informações de vendas, dados acionáveis são utilizados para tomadas de decisões e para entender comportamento de mercado e consumidor.
Com a evolução cada vez mais rápida da tecnologia, o uso estratégico de dados tem sido crucial para decifrar as tendências dos ambientes de negócios e do mercado, bem como o comportamento dos clientes e as métricas de desempenho. Não à toa tem havido expressivo investimento nos últimos dois anos (2021 e 2022) em tais sistemas de inteligência empresarial.

De acordo com a consultoria IDC, cerca de US$ 2,9 bilhões foram destinados ao Big Data & Analytics em 2022, um aumento de 10,8% em relação a 2021. O mesmo estudo revela crescimento de 28% na criação de soluções de inteligência artificial e machine learning.

Segundo o professor e pesquisador da Fundação Getulio Vargas (FGV) Roberto Kanter, é nesse contexto que aparecem os dados acionáveis — informações chaves que a empresa disponibiliza a seus gestores para tomada de decisões. Ele diz que todos os dados que envolvem itens como produção, compras, estoque, finanças e controladoria devem ser unificados com as informações transacionais das carteiras de clientes.

Kanter ainda inclui em tal pacote outros dados de produtos, serviços e suas quantidades, além dos períodos de compra e canais de vendas — de forma a cruzar tais informações e verificar comportamentos positivos e negativos de áreas e processos. Ele explica que tais elementos transformados em informação se tornam dados acionáveis.

“Todos esses itens servem para gerar insights (ideias, percepções e tendências) e construir forecasts (prognósticos e cenários mercadológicos) para a empresa. Cruzar essas informações de maneira inteligente — e oferecer caminhos para os gestores tomarem decisões mais rápidas e assertivas — é o principal motivo de as empresas trabalharem com dados acionáveis”, sintetiza.

Estrutura

De acordo com Kanter, o primeiro ponto a ser implementado para utilizar os dados acionáveis é fazer com que as informações estejam legíveis, corretas e válidas, além de atualizadas e disponíveis. O segundo aspecto é tornar os dados acessíveis a todos os canais físicos e meios eletrônicos.

O terceiro fator é a disponibilidade efetiva da informação no ambiente virtual. E o quarto é a qualidade da informação: que deve ser sempre completa, segura e consistente.

“O último e não menos importante instrumento é a organização dos dados, alinhados ao contexto das análises dinâmicas. Em um futuro muito próximo, sistemas preditivos, que antecipam tendências de compras e consumo, oferecerão produtos e serviços para clientes de forma quase personalizada e dedicada à satisfação dos desejos do mercado”, adianta.

O que medir?

Segundo o empresário Mateus Pestana, cofundador da empresa SenseData, é relativo e um tanto difícil fornecer indicadores que sirvam de parâmetro para todos os tipos de negócio. Ele explica que cada empresa e cada segmento possuem características específicas que precisam ser analisadas com cuidado.

O empresário ressalta, no entanto, que dois indicadores merecem especial atenção: a ‘saúde financeira da empresa’ e a ‘saúde dos clientes’. No primeiro, ele destaca que é imprescindível analisar, dependendo do segmento, o MRR (sigla inglesa para ‘Receita Recorrente Mensal’); o Churn (índice de cancelamentos de pedidos, em determinado período), bem como o Lifetime Value ou LTV (valor que um cliente gerou de receita durante o tempo de relacionamento) e o NRR (do inglês, ‘Retenção de Receita Líquida’ ou receita gerada por retenção de clientes ativos).

“É importante você ter métricas que mostrem se o seu negócio está saudável financeiramente. Isso gera lucro e crescimento ou indica o que está ruim e deve ser melhorado”, diz Pestana.

Clique, aqui, e leia o restante dessa matéria na RBA 150

Por Leon Santos – Assessoria de Comunicação CFA